WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA

As fotos no cabeçalho são da autoria do CDFF

Eventos

Marcha pela liberdade de expressão:

Liberdade de Expressão

Marcha por Gilles Cistac:

Marcha Gilles Sistac

Marcha pela igualdade

Marcha2014_left

Contra violação dos direitos humanos no Código Penal

Diganao2

Concurso de fotografia

Vencedores da 2ª edição

Concurso2_Fotografia3

Marcha pela paz

manifesto_sq

Desfile do 1º de Maio

1maio07_peq

DSR_small
Prémio da Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos 2012

Anúncio dos vencedores

Conferência Nacional sobre Violência de Género

28 e 29 de Novembro 2012

cartaz_conf_small

setacinzaApresentações e debates

Marcha de Solidariedade

Marcha02_small

Fotos da Marcha de Solidariedade dos Povos da SADC (2012)

Multimedia

Não é fácil ser mulher ...

naoehfacil_peq

... em Moçambique

Aborto. Pense nisso...

Aborto_small

(Material usado em acções de formação da WLSA)

Perigo de morte!

perigo_de_morte3

O aborto ilegal em Moçambique

Quem vai querer dar a luz aqui?

Fatima

O estado em que se encontram alguns dos postos de saúde em Cabo Delgado

"Alzira"

Alzira_small

Filme produzido pela WLSA Moçambique sobre sobre uma jovem que, até há pouco tempo, vivia com fístula obstétrica.

"Omitidas"

Brochura elaborada pela WLSA Moçambique sobre o problema da fístula obstétrica - um drama que atinge cerca de 100.000 mulheres em Moçambique.

Omitidas

Clique aqui para ler ou descarregar a brochura (nova edição; em PDF)

Leia mais sobre fístula obstétrica

Contra a violência de género

Jogos05_small

A sociedade civil manifestou-se na inauguração dos X Jogos Africanos

Vovós acusadas de feiticeiras:

Nely_peq setacinzaConheça o Protocolo da SADC sobre Género e Desenvolvimento, 2008

Breves

Comunicado de imprensa da UNICEF e UNFPA contra os casamentos prematuros

09
Mar
2016

Uma iniciativa conjunta da UNICEF e do UNFPA, por ocasião do dia 8 de Março, abrangendo vários países, pretende acelerar a acção para acabar com o casamento de crianças e ajudará a proteger os direitos de milhões de raparigas mais vulneráveis ​​do mundo.

Leia a seguir o Comunicado de Imprensa.

COMUNICADO DE IMPRENSA CONJUNTO

Nova iniciativa em vários países vai proteger milhões de raparigas de casamentos prematuros – UNICEF / UNFPA

NOVA IORQUE, 8 de Março de 2016 – Uma nova iniciativa abrangendo vários países para acelerar a acção para acabar com o casamento de crianças ajudará a proteger os direitos de milhões de raparigas mais vulneráveis ​​do mundo, dizem o UNICEF e o UNFPA no Dia Internacional da Mulher.

O Programa Global UNFPA-UNICEF para acelerar as acções para Acabar com os Casamentos Prematuros, anunciado hoje, vai envolver as famílias, comunidades, governos e jovens. O programa faz parte de um esforço global para evitar que raparigas se casem muito jovens e para apoiar as já casadas, enquanto raparigas, em 12 países de África, Ásia e Médio Oriente, onde as taxas de casamentos prematuros são elevadas.

“Escolher quando e com quem se casar é uma das decisões mais importantes da vida. Cada ano, os casamentos prematuros negam a milhões de raparigas esta escolha “, disse o Dr. Babatunde Osotimehin, Director Executivo do UNFPA, o Fundo das Nações Unidas para a População. “Como parte deste programa global, vamos trabalhar com os governos dos países com uma alta prevalência de casamentos prematuros, para defender os direitos das adolescentes, de modo que as raparigas possam alcançar o seu potencial e os países possam atingir as suas metas de desenvolvimento social e económico.”

O novo programa global vai se concentrar em cinco estratégias comprovadas, incluindo o aumento do acesso das raparigas à educação, a sensibilização dos pais e das comunidades sobre os perigos dos casamentos prematuros, o aumento do apoio económico para as famílias, bem como o reforço e cumprimento das leis que estabelecem os 18 anos como idade mínima de casamento.

“O mundo despertou para os danos que os casamentos prematuros causam às raparigas individualmente, para os seus futuros filhos, e suas sociedades”, disse o Director Executivo da UNICEF, Anthony Lake. “Este novo programa global vai ajudar a direccionar a acção para alcançar as raparigas em maior risco e ajudar para que mais raparigas e mulheres jovens possam realizar o seu direito de ditar o seu destino. Isto é crítico, porque, se as tendências actuais continuarem, o número de raparigas e mulheres casadas enquanto crianças irá chegar a quase mil milhões até 2030. Mil milhões de jovens meninas com a infância perdida, mil milhões de futuros arruinados.”

Os casamentos prematuros é uma violação dos direitos de raparigas e mulheres. As raparigas que são casadas enquanto crianças são mais propensas a ficarem fora da escola, sofrer violência doméstica, contrair o HIV/SIDA e morrer devido a complicações durante a gravidez e o parto. O casamento prematuro também afecta negativamente as economias e leva a ciclos de pobreza intergeracionais.

A comunidade global demonstrou um forte compromisso de acabar com os casamentos prematuros, incluindo a meta de eliminá-lo, bem como outras práticas nocivas, nos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável. A UNICEF e o UNFPA apelam aos governos e organizações parceiras para apoiar o novo Programa Global para ajudar a eliminar os casamentos prematuros até 2030.

O Programa Global UNFPA-UNICEF para acelerar as acções para Acabar com Casamentos Prematuros está a ser apoiado pelo Canadá, a União Europeia, a Itália, os Países Baixos (Holanda) e o Reino Unido (da Grã Bretanha e Irlanda do Norte).

* * *

Para baixar material multimídia: clique aqui

 

Sobre o UNFPA

O UNFPA é a agência das Nações Unidas cuja missão é criar um mundo onde toda a gravidez é desejada, todo o parto é seguro e o potencial de todo o jovem é realizado O UNFPA trabalha em mais de 150 países e territórios para expandir as possibilidades para as mulheres e os/as jovens levarem vidas saudáveis ​​e produtivas.

Para mais informações sobre UNFPA e seu trabalho visite: www.unfpa.org

Siga-nos no   Twitter   e    Facebook

 

Sobre a UNICEF

A UNICEF promove os direitos e o bem-estar de todas as crianças em tudo o que faz. Em conjunto com os nossos parceiros, trabalhamos em 190 países e territórios com o intuito de traduzir esse compromisso em acção prática, fazendo incidir um esforço especial na cobertura das crianças mais vulneráveis e excluídas, em benefício de todas as crianças em todo o lado.

Para mais informações sobre a UNICEF e o seu trabalho, visite: www.unicef.org

Siga-nos no   Twitter   e    Facebook

 

Para mais informações, favor contactar:

 

Em Nova Iorque

Melanie Sharpe, UNICEF Nova Iorque, + 1 917 251 7670, msharpe@unicef.org

Eddie Wright, UNFPA Nova Iorque, + 1 212 297 2717, ewright@unfpa.org

 

Em Moçambique

Alvo Naftal Ofumane, UNFPA Moçambique, Telefone: +258 84 848 2629, ofumane@unfpa.org

Gabriel Pinho Pereira, UNICEF Moçambique, Telemóvel: +258 82 316 5390, gpereira@unicef.org

* * *

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pesquisa

Novidades

Novos livros

Entre a denúncia e o silêncio

Capa do livro

Participação política em contexto eleitoral

Capa do livro

Eleições Autárquicas 2013

Capa do livro  

setacinza A repressão policial das feministas e a expulsão de Eva Moreno


Cartazes sobre o Código Penal

Cartaz contra o Artigo 46 do Código Penal  

Tiras da Feminista Durona

A Feminista Durona

setacinza Veja todas as tiras da Feminista Durona


Artigos adicionados recentemente


WLSA / @ Verdade:

Acompanhe a distribuição do jornal A Verdade nos subúrbios de Maputo setacinzaReportagens e artigos da WLSA em parceria com o jornal @ Verdade.

Lista de todas as matérias


A revisão do Código Penal deve respeitar os direitos humanos das mulheres

Clique aqui para ver alguns vídeos sobre a violação sexual de menores e a violação no casamento - dois crimes contra os quais o Código Penal revisto não protege cabalmente.

Campanha "Palavras de Esperança" (El Salvador)


setacinza Em defesa da paz: organizações de mulheres escrevem ao Presidente da República e ao Presidente da Renamo

Novo livroA WLSA lançou um novo livro: "A Lei da Família e a igualdade de direitos - um balanço da sua aplicação"

aCapa do livroRepresentações e práticas da sexualidade dos jovens e a feminização do SIDA em Moçambique (2007); relatório de pesquisa


setacinza Mulheres corajosas

Viagem no mundo das fístulas vesico-vaginais Um depoimento apaixonado e emocionante de um cirurgião que dedicou a sua vida a salvar mulheres que vivem com fístula obstétrica, uma condição incapacitante e que leva à discriminação e ao isolamento social.

Conferência Nacional sobre Violência de Género

Cartaz da Conferência Nacional sobre a Violência de Género
Maputo, 28 a 29 de Novembro 2012

setacinza Apresentações e discussões

setacinza Comunicado final

setacinza Fotos da Conferência

setacinza Documento da Conferência

setacinza Programa da Conferência


Entrega do Prémio da Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos 2012

setacinza Veja o anúncio dos vencedores

Código Penal: Graça Machel toma posição

Graça Machel, Presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade, posicionou-se sobre a revisão do Código Penal, subscrevendo as demandas da sociedade civil. Veja as cartas que ela endereçou a diversas personalidades da Assembleia da República.

Revisão do Código Penal

Direitos iguais no Código PenalA Assembleia da República (AR) está a preparar uma revisão do Código Penal, que data de 1886.

setacinza Nota ao Parlamento

Preocupado com o rumo que está a tomar a revisão do Código Penal, um grupo de organizações da Sociedade Civil diriguiu uma nota à AR. setacinza Carta da Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos
Logo da Rede DSR

Factsheet

Informação sobre os Direitos Sexuais e Reprodutivos das mulheres em Moçambique, recolhida pela Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos

A Voz de America sobre o caso de violação colectiva em Pemba:

Escute o texto do artigo em português

Os "talibans" de Moçambique...

A violação de uma mulher por 17 homens é justificada em nome do respeito pela tradição...
Clique aqui para ler os artigos já publicados pela WLSA Moçambique.
Mulher e Lei na África Austral - Moçambique