WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA

As fotos no cabeçalho são
da autoria do CDFF 

Eventos

16 Dias de Activismo Contra a Violência de Género 2020:

Mês da mulher 2020:

Debate, workshop, feira, música, desporto, cinema, exposição, poesia, teatro, dança e muito mais

Programa do Mês da Mulher 2020

Campeonato de futebol:

“Unidos Contra a Violência Sexual”

Vamos falar de aborto!

(mesa redonda)

Mulheres Jovens sob Ataque (debate)

V Conferência Nacional da Rapariga

Marcha pela liberdade de expressão

Liberdade de Expressão

Marcha por Gilles Cistac

Marcha Gilles Sistac

Marcha pela igualdade

Marcha2014_left

Contra violação dos direitos humanos no Código Penal

Diganao2

Concurso de fotografia

Vencedores da 2ª edição

Concurso2_Fotografia3

Marcha pela paz

manifesto_sq

Desfile do 1º de Maio

1maio07_peq

DSR_small
Prémio da Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos 2012

Anúncio dos vencedores

Marcha de Solidariedade

Marcha02_small

Fotos da Marcha de Solidariedade dos Povos da SADC (2012)

Multimedia

Não é fácil ser mulher ...

naoehfacil_peq

... em Moçambique

Aborto. Pense nisso...

Aborto_small

(Material usado em acções de formação da WLSA)

Quem vai querer dar a luz aqui?

Fatima

O estado em que se encontram alguns dos postos de saúde em Cabo Delgado

"Alzira"

Alzira_small

Filme produzido pela WLSA Moçambique sobre sobre uma jovem que, até há pouco tempo, vivia com fístula obstétrica.

"Omitidas"

Brochura elaborada pela WLSA Moçambique sobre o problema da fístula obstétrica - um drama que atinge cerca de 100.000 mulheres em Moçambique.

Omitidas

Clique aqui para descarregar a brochura (em PDF)

Leia mais sobre fístula obstétrica

Contra a violência de género

Jogos05_small

A sociedade civil manifestou-se na inauguração dos X Jogos Africanos

 

Breves

Sociedade civil agradece o trabalho do Bispo de Pemba

21
Fev
2021

Dezanove organizações da sociedade civil subscrevem um comunicado de valorização do trabalho e da obra do Bispo de Pemba, que agora deixa o país. Começam dizendo “Cuchucuro”, que em Emakhwua quer dizer “Obrigado”.
Leia a seguir o comunicado na íntegra.

Cuchucuro Dom Luiz Lisboa, pelo que fez pela Província de Cabo Delgado

O Contexto

Dom Luiz Fernando Lisboa foi nomeado Bispo de Pemba pelo Papa Francisco em Junho de 2013. O contexto social enfrentado na Diocese de Pemba foi caracterizado por um período de violenta penetração do capital, exercendo uma forte pressão sobre terras e reassentamentos populacionais no Nordeste de Cabo Delgado, por uma intensa conflitualidade nas minas de Montepuez, com graves violações de direitos humanos, assim como um aumento da pobreza e desigualdades sociais. A partir de 2017 iniciaram os primeiros ataques em Mocímboa da Praia, com níveis de violência macabros, alastrando-se nos anos seguintes por todo o Nordeste da província, desencadeando meio milhão de deslocados e uma grave crise humanitária.

O trabalho realizado

O trabalho de Dom Luiz foi notável, não só ao nível da denúncia de violações dos direitos humanos, na montagem de toda uma rede de assistência humanitária às populações deslocadas, complementando ou até substituindo-se ao Estado, mas também ao nível da promoção do diálogo inter-religioso e nos apelos à construção da Paz. Dom Luiz Fernando Lisboa nunca deixou de ser a voz dos mais desfavorecidos, chamando a atenção nacional e internacional para a violência da pobreza e da injustiça social, exercendo uma pressão para uma sociedade mais justa e menos desigual. O resultado foi a conquista de um carisma alargado junto das populações de Cabo Delgado, entre cristãos e muçulmanos.

A Teologia da Libertação

O trabalho de Dom Luiz Fernando Lisboa foi claramente influenciado pela Teologia da Libertação, corrente que emergiu na América Latina no último quartel do século passado, num contexto caracterizado por profundas contradições sociais. Trata-se de uma teologia política que, reinterpretando a fé Cristã, preconiza um papel mais activo da Igreja na defesa dos mais pobres e injustiçados, na libertação de injustas condições económicas, sociais e políticas.

O trabalho do Bispo de Pemba foi também inspirado pelo pensamento do Papa Francisco, também ele incutido pela teologia da libertação. Na Encíclica Laudato Si o Papa Francisco apela aos cristãos a adoptarem uma cidadania activa na gestão do nosso planeta, definido como a casa comum, condenando políticas económicas predadoras do ambiente.

A denúncia de graves contradições sociais, na defesa dos mais fragilizados, foi entendida, em círculos conservadores próximos do poder, como uma ameaça ao Governo, iniciando-se uma campanha de difamação e de ameaças contra o Dom Luiz Fernando Lisboa, perante a complacência do Governo central. Ao invés de se representar o Bispo de Pemba como um parceiro do Estado na denúncia da violência e na construção de uma sociedade mais integrada e inclusiva, a reacção foi de ostracização e de isolamento de quem não fazia parte do problema, mas da sua solução.

A história repete-se duas vezes?

Num contexto de guerra, de injustiça e de sofrimento social a experiência de Dom Luiz Lisboa foi similar à de outras forças progressistas da Igreja, na denúncia da exploração e injustiças coloniais ou das atrocidades cometidas pelo exército português. Dom Manuel Vieira Pinto, Bispo de Nampula, membros dos Padres Brancos, dos Padres Burgos ou de Missionários Combonianos também emitiram posicionamentos sociopolíticos defendendo os direitos das populações locais. Na época recorreu-se à imprensa para vilipendiar aqueles que colocavam em causa os interesses do Estado colonial-fascista, tendo acabado por ser expulsos de Moçambique.

Alertamos para o risco de recriação de um Estado fascista, corporativo e defensor do grande capital que, em nome do patriotismo, hostiliza vozes independentes ou críticas do sistema de relações sociais, entre os quais jornalistas e investigadores, activistas ambientais ou de direitos humanos e membros de organizações religiosas. A intimidação de vozes alternativas não eliminará as contradições sociais, pelo que o Governo deve encarar as diferentes forças sociais não como inimigos, mas como aliados na identificação de problemas e construção de estratégias sustentáveis.

Agradecendo a sua coragem ao longo de um período muito difícil, desejamos a Dom Luiz Lisboa sucesso no seu futuro, em termos de saúde e de trabalho missionário, na continuidade dos princípios que o nortearam como Bispo de Pemba e cidadão do Mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisa

Novidades

Comemorando o Dia Internacional da Mulher

Postal da WLSA desejando feliz 2021Pelos direitos humanos!

16 dias de Activismo Contra a Violência de Género 2020

Crianças e Covid-19: jogos para brincar com as crianças

 

Novos livros

Mulher e democracia: indo além das quotas

capa do livro Concurso de Leitura

Silenciando a discriminação

Capa do livro  

Chega! - Junt@s Podemos Acabar com a Violência contra Mulheres e Raparigas

Convite para campanha contra a violência sexual

Campanha UDHINDO:

setacinza Moatize: Sociedade Civil lança campanha pelos direitos humanos e meio ambiente

setacinza Manifesto da Campanha

setacinza Comunicado de Imprensa


A repressão policial das feministas e a expulsão de Eva Moreno


Cartazes sobre o Código Penal

Cartaz contra o Artigo 46 do Código Penal  

Tiras da Feminista Durona

A Feminista Durona

setacinza Veja todas as tiras da Feminista Durona


WLSA / @ Verdade:

Acompanhe a distribuição do jornal A Verdade nos subúrbios de Maputo setacinzaReportagens e artigos da WLSA em parceria com o jornal @ Verdade.

Todas as matérias


A revisão do Código Penal deve respeitar os direitos humanos das mulheres

Clique aqui para ver alguns vídeos sobre a violação sexual de menores e a violação no casamento - dois crimes contra os quais o Código Penal revisto não protege cabalmente.

setacinza Em defesa da paz: organizações de mulheres escrevem ao Presidente da República e ao Presidente da Renamo


setacinza Mulheres corajosas

Viagem no mundo das fístulas vesico-vaginais Um depoimento apaixonado e emocionante de um cirurgião que dedicou a sua vida a salvar mulheres que vivem com fístula obstétrica, uma condição incapacitante e que leva à discriminação e ao isolamento social.

Conferência Nacional sobre Violência de Género

Cartaz da Conferência Nacional sobre a Violência de Género
Maputo, 28 a 29 de Novembro 2012

setacinza Apresentações e discussões

setacinza Comunicado final

setacinza Fotos da Conferência

setacinza Documento da Conferência

setacinza Programa da Conferência


Entrega do Prémio da Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos 2012

setacinza Veja o anúncio dos vencedores
Graça Machel, Presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade, posicionou-se sobre a revisão do Código Penal, subscrevendo as demandas da sociedade civil. Veja as cartas que ela endereçou a diversas personalidades da Assembleia da República.

Revisão do Código Penal

Direitos iguais no Código PenalA Assembleia da República (AR) está a preparar uma revisão do Código Penal, que data de 1886.

setacinza Nota ao Parlamento

Preocupado com o rumo que está a tomar a revisão do Código Penal, um grupo de organizações da Sociedade Civil diriguiu uma nota à AR. setacinza Carta da Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos
Logo da Rede DSR

Factsheet

Informação sobre os Direitos Sexuais e Reprodutivos das mulheres em Moçambique, recolhida pela Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos

Clique aqui para ler os artigos publicados em "Outras Vozes" (entre 2002 e 2015).
Mulher e Lei na África Austral - Moçambique