WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA

 

As fotos no cabeçalho
são da autoria do CDFF

CDFF - site fora do ar 30 Nov 2013

 

Eventos

Contra violação dos direitos humanos no Código Penal

Cartazes da Marcha

 

Concurso de fotografia

2ª edição

Concurso de fotografia

 

Marcha pelo fim da violência contra a mulher e a rapariga

Marcha pelo fim da violência contra a mulher e a rapariga

 

Lançado livro sobre ritos de iniciação

Capa do livro

 

Marcha pela paz

Marcha pela Paz e contra a Insegurança

 

Formados 18 jornalistas

Veja o vídeo sobre a formação de jornalistas em Nampula

Leia mais sobre esta formação

 

Desfile do 1º de Maio

Clique aqui para ver fotos do desfile em Maputo

 

Logo da DSR
Prémio da Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos 2012

Anúncio dos vencedores

 

Conferência Nacional sobre Violência de Género

28 e 29 de Novembro 2012

Cartaz da Conferência Nacional sobre a Violência de Género

Apresentações e debates

 

Marcha de Solidariedade

Marcha de Solidariedade dos Povos da SADC

Fotos da Marcha de Solidariedade dos Povos da SADC (2012)

 

Multimedia

As mulheres e a Internet

A importância de as mulheres terem acesso à Internet:
Women and the Web

 

Não é fácil ser mulher ...

Não é fácil ser mulher em Moçambique

... em Moçambique

 

Aborto. Pense nisso...

Aborto?

(Material usado em acções
de formação da WLSA)

 

Perigo de morte!

Perigo de Morte: Aborto ilegal em Moçambqiue

O aborto ilegal em Moçambique

 

Quem vai querer dar a luz aqui?

Quem vai querer dar a luz aqui?

O estado em que se encontram alguns dos postos de saúde em Cabo Delgado

 

"Alzira"

Alzira

Filme produzido pela WLSA Moçambique sobre sobre uma jovem que, até há pouco tempo, vivia com fístula obstétrica.

 

"Omitidas"

Brochura elaborada pela WLSA Moçambique sobre o problema da fístula obstétrica - um drama que atinge cerca de 100.000 mulheres em Moçambique.

Capa da brochura 'Omitidas'

Clique aqui para ler ou descarregar a brochura (em PDF)

Leia mais sobre fístula obstétrica

 

Contra a violência de género

Veja as fotos da manifestação na inauguração dos X Jogos Africanos

A sociedade civil manifestou-se na
inauguração dos X Jogos Africanos

 

Vovós acusadas de feiticeiras:

Vovós acusadas de ser feiticeiras

 

Conheça o Protocolo da SADC sobre Género e Desenvolvimento, 2008

Breves

Apresentando... Rede Contra o Abuso Sexual de Menores

10
Jul
2006

Apresentando... Rede Contra o Abuso Sexual de Menores

A Rede CAME foi criada em resposta às recomendações de Estocolmo de 1996 (I Congresso Mundial Contra a Exploração Sexual Comercial da Mulher e Criança).

 

Nesta breve notícia apresentamos a Rede Contra o Abuso Sexual de Menores - Moçambique (Rede CAME)1.

Desde a sua criação a Rede CAME tem realizado diversas actividades, entre as quais se destacam as seguintes:

  • 1999 – Estudo sobre “Prostituição, Abuso Sexual de Menores e Trabalho Infantil em Moçambique”: Maputo, Nampula e Tete;
  • 2000 – Lançada a “Campanha Contra Abuso Sexual de Menores” em Ressano Garcia;
  • 2001 – Seminário sobre “Tráfico de Menores na Realidade Moçambicana”;
  • 2001 – Estudo sobre “factores de influência da violação dos direitos da criança, prostituição e abuso sexual de menores - Caso Ressano Garcia”;
  • 2002/3 – Formação de 786 Agentes de Auxílio Humanitário sobre “abuso e exploração sexual de mulheres e menores no contexto de crise humanitária – emergência” em 23 distritos de 8 províncias com patrocínio da FDC, WFP, UNICEF, Save The Children UK;
  • 2003 – Convidado pelo Governo a apoiar trabalho de Reforma Legislativa sobre a Criança;
  • 2004 – Início do processo de capacitação institucional da REDE envolvendo parceiros.

Dimensão Moçambicana do Problema

Segundo a Rede, em Moçambique a situação do abuso de menores tem as seguintes dimensões:

  • Tráfico de menores com fins de prostituição, turismo sexual, escravatura sexual e indústria de pornografia;
  • Tráfico de menores com fins de extracção de órgãos humanos para venda ou rituais mágico-religiosos;
  • Exploração de mão-de-obra infantil barata para trabalhos domésticos e agricultura;
  • Abuso sexual doméstico perpetrado por parentes, afins, pessoas conhecidas tutelando os menores;
  • Abuso físico na forma de espancamento por adultos;
  • Abuso emocional na forma de palavras injuriosas, inadequadas que resultam na perda de auto-estima;
  • Negligência dos pais no atendimento dos Direitos básicos dos menores: Registo de nascimento, acesso em tempo regulamentar ao ensino básico obrigatório, acesso à saúde, exposição de menores a riscos enquanto vendedores ambulantes, catadores de lixo e provedores de serviços nos cemitérios da cidade.

Visão da REDE face ao Problema

A Rede defende uma Sociedade Moçambicana na qual a criança participe no seu desenvolvimento, livre de qualquer forma de abuso. Assim, considera como sua Missão: “Mobilizar forças e criar sinergias na sociedade Moçambicana para melhor combater todas as formas de abuso de menores, através de acções de advocacia, educação e sensibilização respeitando os direitos da criança e rejeitando qualquer forma de discriminação, particularmente em relação ao género e idade”.

A rede pretende garantir o respeito dos Direitos da Criança e rejeição de qualquer forma de discriminação, particularmente em relação ao género e idade, bem como a integridade e a honestidade dos membros e liderança na gestão do bem comum, uma solidariedade activa e participativa para com a causa da criança.

Estratégia da REDE

A Rede tem por estratégias:

  1. Mobilização directa e indirecta para o envolvimento de organizações e instituições a todos os níveis.
  2. Produção de informação com vista a elevar o conhecimento dos problemas de abuso de menores e propor soluções para reduzir a ocorrência de casos.
  3. Consciencialização da sociedade sobre a necessidade desta participar activamente na prevenção de abuso de menores.
  4. Estabelecimento de redes de trabalho (networking).

Parceiros da REDE CAME

São parceiros da Rede:

  • ADCJM - Associação Desenvolvimento Comunitário da Juventude em Moçambique
  • ADDC - Associação dos Defensores dos Direitos da Criança
  • ANDA Manica
  • ASHUDEC
  • CERPIJ - Centro de Reabilitação Psicológica Infanto-Juvenil
  • Cruz Vermelha de Moçambique
  • FDC - Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade
  • FECIV - Instituto de Educação cívica Eleitoral
  • Juventude do Conselho Cristão de Moçambique
  • KUBESSA
  • Liga dos Direitos da Criança
  • MONASO – rede de organizações de combate ao HIV/SIDA
  • Muleide - Mulher, Lei e Desenvolvimento
  • OJM
  • OMM
  • Organização Continuadores de Moçambique
  • Prolide
  • Rede da Criança
  • Rede de ONGs Contra a Droga

Nota
1 - Estes dados foram tirados das “Linhas Gerais do Plano Estratégico 2005-2010”.

APELO
O governo deve adoptar leis que elevem o nível de protecção das crianças contra novos tipos de crimes não previstos na lei em vigor. A reforma legal em curso é uma oportunidade única que temos para conseguir este objectivo.
A sociedade deve empenhar-se mais na educação das crianças para autodefesa e no encorajamento das instituições a lutar contra o abuso sexual e espoliação da criança.

Contactos
Rafa Valente Machava (Assessora) e Carlos A Manjate (Coordenador)
B. Sommershield, Rua Pereira do Lago, 147 S/L, Telefax: 21-491600
E-mail: antichildabuse-at-tvcabo.co.mz ou: antichildtrafic-at-tvcabo.co.mz

Comentários

Sex
13
Fev
2009

Gostaria de filiar aminha associacao oque faco

Pedro Felizardo Viageiro

Comentários

Dom
15
Fev
2009

A informação de contacto está desactualizada.
Para contactar a Rede CAME, use a seguinte informação:
Avenida Milagre Mabote 370, r/c
Tel/fax: +258 21 417 910
Celular: +258 82 300 2949
E-mail: antichildtrafic@tvcabo.co.mz
ou: antichildabuse@tvcabo.co.mz
A Rede CAME também já tem a sua própria página: www.redecame.org.mz

webmaster WLSA.org.mz

Comentários

Ter
22
Set
2009

BOM ! primeiro gostaria muito de felicitar a rede came pelo trabalho que vindo a desenvolver a nivel do nosso pais( Moacambique.
dizer que lamentavelmente o problema de abuso sexual contra menores e uma realidade. E uma obrigacao de todos nos como membros de uma sociedade bem organizada e com principios e uma cultura invejavel, combater este mal.

Sou estudante da UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE e neste momento encontro me a trabalhar num projecto de pesquisa subordinado ao tema A NOVA LEI CONTRA A VIOLENCIA DOMESTICA E A IGUALIDADE DE GENEROS.

Embora seja prematuro afirmar, em Mocambique exeste um paradoxo muito grande no que concerne a igualidade de genero e parece que todos os problemas sociais e ou de conjuges estao directamente ligados a este fenomeno que e a igualidade de genero.

De um lado encontramos factores de ordem cultural, crencas, habitos,etc. Mas tambem temos uma inseguranca da propria mulher, porque EMBORA ELA SEJA CAPAZ, sente-se incapacitada talvez ela se guie pelo velho ditado que diz ATRAS DE UM GRANDE HOMEM EXISTE UMA GRANDE MULHER, como se ele precisa-se ou dependesse de um grande para tornar-se esta grande MULHER.
Por favor gostaria muito de ter uma interacao com pessoas ou ONG´S que estejam interessados em trabalhos ou projectos de pesquisas com tema aliados a Sociedade Mocambicano principalmente na area da Mulher e Crianca.

Contacto por favor 82 2895590 ou 84 8722600
ou e-mail nelsonmoiane+sapo.mz....suburbius*hotmail.com
FACULDADE DE LETRAS DE UEM

Nelson MOINE

Comentários

Sex
2
Out
2009

Primeiro quero aqui parabenisar a rede CAME pelo trabalho que tem realizado, pois o nosso País precisa de iniciativas do genero para crescer e desenvolver. Este é um trabalho muito positivo, pois trabalha com as crianças, e as crianças são o o nosso futuro, sem elas o nosso amanhã não existe.

Vânia Elenise Ibraimo Allen

Comentários

Qui
13
Mai
2010

Eu pessoalmente penso que a cada vez que sao elaboradas leis e decretos que visao proteger a criança mais criancas sao taficadas para o esterior, os motivos sao varios, desde a exploracao sexual e da mao de obra infantil.

alguem de direito deve prestar mais atencao nos transportes semicolectivos, pois, é nestas condicoes que muitas crianças sao traficadas

Ivano Ernesto Chissngue

Comentários

Ter
27
Jul
2010

Estou alegre por saber que existem mais gente trabalhando para construir um mundo cada vez melhor. Afinal, adquirimos tudo com a graca de Deus e o o nosso Dever é transmitir tudo para os outros. contem comigo irmaos. Vamos travar com Paz estas grande batalhas. Eu gostava de saber mais com voces o que posso fazer para contribuir. o meu endereco é este: ferrazmussfo@yahoo.com.br agradecia.

Mussafo Manecas Ferraz

Comentários

Seg
2
Ago
2010

GOSTARIA DE DESEJAR SUCESSOS PARA A REDE PELO TRABALHO QUE TEM VINDO A DESENVOLVER QUE CONSIDERO DE CAPITAL IMPORTANCIA AS CRIANCAS DEVEM CONTINUAR A ESTUDAR DE FORMA A CONTRIBUIR NO FUTURO PARA O DESENVOLVIMENTO DO PAIS, E SO PODEM O FAZER SE ESTIVEREM LIVRE DO TRABALHO INFANTIL E DE OUTROS ABUSOS.ligio Langa. Langa38@yahoo.com.br

Ligio Langa

Comentários

Seg
27
Set
2010

Gostaria de felicita-los pelo trabalho que tem feito e adicioalmente, solicitar material para o meu trabalho de tese que tem como titulo" Trafico de menores em Moç para".

helena

Comentários

Dom
24
Out
2010

Eu parabenizo a rede came, sinceramente é interessante saber que neste país existem passoas vindas como anjos para salvar. não basta só fazermos as coisas quando somos obrigados ou quando nos infectam, mas tambem quando nos afectam. parabens, eu tambem trabalho para comunidades

Elsa

Comentários

Ter
15
Fev
2011

Sempre que alguém decide ajudar uma criança, deve saber de antemão que esta a garantir o sorriso e o futuro das crianças em geral, Forca REDE CAME, vocês marcam a diferença pois contribuem de verdade para o fim da pobreza.
Acho que deviam publicar mais os vossos trabalhos, alargar a vossa base de colaboradores voluntários, pois isso ira garantir apoios a todos níveis.

Lucilio Bule

Comentários

Qua
8
Jun
2011

Gostaria de felicita-los pelo trabalho que tem feito e adicioalmente, solicitar material para o meu trabalho de tese que tem como titulo" Trafico de menores em Moç para".


Carla


Carla Francisco Nhalidede

Comentários

Qua
8
Jun
2011

A informação de contacto da Rede CAME pode ser encontrada num dos primeiros comentários acima. Para contactar a WLSA, veja a página "Contactos".

Webmaster WLSA

Comentários

Qua
19
Out
2011

Em primeiro lugar felicitar a REDE CAME pelo trabalho positivo desempenha. Sou estodante da UNIVERSIDADE SÃO TÓMAS DE MOÇAMBIQUE, e tive um trabalho na cadeira de Técnicas de Redaçao Académica na qual o estudante escolhe o tema que pretende abordar, e o meu coi exetamente "As Causas dos Abusos Sexuais de Menores em Moçambique". Muita força, e continuem assim.

yane Carlos Nedissone

Deixe um comentário

Por favor preenche o seu nome aqui.
Por favor, escreva aqui o número que vê na figura ao lado. Trata-se de uma medida de segurança para evitar mensagens automatizadas.
Por favor escreva o seu comentário aqui.

Novidades

A Feminista Durona e o 7 de Abril

A Feminista Durona e o 7 de Abril

A Feministra Durona e a instabilidade

Conheça os vencedores da 1ª edição do Concurso de Fotografia

Reconhecimento internacional de Aldo Marchesini

Revisão do Código Penal

ONGs continuarão a luta pelos direitos humanos até à aprovação final do Código Penal

Marcha: Organizações entregam Carta à Assembleia da República

Código Penal: a marcha por direitos

Comunicado de Imprensa

Amnistia Internacional organiza petição

O Código Penal vai contribuir para aumentar a impunidade

Discriminação contra homossexuais no Código Penal

Activista: proposta de Código Penal viola direitos da mulher (AIM)


Disponíveis: Textos e debates da Conferência Nacional sobre Violência de Género

Apresentando a Feminista Durona....


WLSA / @ Verdade:

Acompanhe a distribuição do jornal A Verdade nos subúrbios de Maputo

O Código Penal vai contribuir para aumentar a impunidade

Discriminação contra homossexuais no Código Penal

O (deficiente) enquadramento legal do crime de violação

Punição para a criança ou mulher violada sexualmente

Fui violada! Exijo justiça!

Lista de todas as matérias


A revisão do Código Penal deve respeitar os direitos humanos das mulheres

Clique aqui para ver alguns vídeos sobre a violação sexual de menores e a violação no casamento - dois crimes contra os quais o Código Penal revisto não protege cabalmente.

Leia também: Código Penal: Organizações da sociedade civil entregaram mais uma Nota ao Parlamento

O (deficiente) enquadramento legal do crime de violação


 Em defesa da paz: organizações de mulheres escrevem ao Presidente da República e ao Presidente da Renamo

Novo livroA WLSA lançou um novo livro: "A Lei da Família e a igualdade de direitos - um balanço da sua aplicação"

Capa do livro

Representações e práticas da sexualidade dos jovens e a feminização do SIDA em Moçambique (2007); relatório de pesquisa


 Mulheres corajosas

Viagem no mundo das fístulas vesico-vaginais

Um depoimento apaixonado e emocionante de um cirurgião que dedicou a sua vida a salvar mulheres que vivem com fístula obstétrica, uma condição incapacitante e que leva à discriminação e ao isolamento social.


 Women and the Web

A importância de as mulheres terem acesso à Internet (em inglês)


Conferência Nacional sobre Violência de Género

Cartaz da Conferência Nacional

Maputo, 28 a 29 de Novembro 2012

Apresentações e discussões

Comunicado final

Fotos da Conferência

Documento da Conferência

Programa da Conferência


Entrega do Prémio da Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos 2012

 Veja o anúncio dos vencedores

 Programas premiados


Cartaz da Campanha dos 16 Dias - 2012Por uma cultura de paz:

Acabemos com a Violência contra as Mulheres

16 Dias de Activismo Contra a Violência de Género


Código Penal: Graça Machel toma posição

Graça Machel, Presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade, posicionou-se sobre a revisão do Código Penal, subscrevendo as demandas da sociedade civil. Veja as cartas que ela endereçou a diversas personalidades da Assembleia da República.


Revisão do Código Penal

Direitos iguais no Código Penal

A Assembleia da República (AR) está a preparar uma revisão do Código Penal, que data de 1886.

 Nota ao Parlamento

Preocupado com o rumo que está a tomar a revisão do Código Penal, um grupo de organizações da Sociedade Civil diriguiu uma nota à AR.

 A auscultação pública

No dia 3 de Agosto de 2012 realizou-se um debate na AR sobre o Projecto de Revisão do Código Penal. O debate deixou claro que a intenção da Assembleia é despenalizar a bigamia.

 Afinal é através do Código Penal que se vai legalizar a poligamia?

No documento de proposta de revisão do Código Penal, distribuído pela Comissão Parlamentar dos Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e Legalidade da AR, como base para os debates que estão a organizar pelo país, a bigamia continua a ser crime. Mas o que está a ser difundido é exactamente o contrário!

Mais comentários

 Fórum da Terceira Idade: A mendicidade e a vadiagem no Código Penal

 Carta da Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos


Logo da DSR

Factsheet

Informação sobre os Direitos Sexuais e Reprodutivos das mulheres em Moçambique, recolhida pela Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos


A Voz de America sobre o caso de violação colectiva em Pemba:

 Escute o texto do artigo em português


Os "talibans" de Moçambique...

A violação de uma mulher por 17 homens é justificada em nome do respeito pela tradição...


Clique aqui para ler os artigos já publicados pela WLSA Moçambique. Clique aqui para ter acesso à lista dos artigos em PDF.

Número de visitantes únicos até hoje: 301.723