WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA

As fotos no cabeçalho são
da autoria do CDFF 

Eventos

Vamos falar de aborto! (mesa redonda):

Mulheres Jovens sob Ataque (debate):

V Conferência Nacional da Rapariga:

Marcha pela liberdade de expressão:

Liberdade de Expressão

Marcha por Gilles Cistac:

Marcha Gilles Sistac

Marcha pela igualdade

Marcha2014_left

Contra violação dos direitos humanos no Código Penal

Diganao2

Concurso de fotografia

Vencedores da 2ª edição

Concurso2_Fotografia3

Marcha pela paz

manifesto_sq

Desfile do 1º de Maio

1maio07_peq

DSR_small
Prémio da Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos 2012

Anúncio dos vencedores

Marcha de Solidariedade

Marcha02_small

Fotos da Marcha de Solidariedade dos Povos da SADC (2012)

Multimedia

Não é fácil ser mulher ...

naoehfacil_peq

... em Moçambique

Aborto. Pense nisso...

Aborto_small

(Material usado em acções de formação da WLSA)

Perigo de morte!

perigo_de_morte3

O aborto ilegal em Moçambique

Quem vai querer dar a luz aqui?

Fatima

O estado em que se encontram alguns dos postos de saúde em Cabo Delgado

"Alzira"

Alzira_small

Filme produzido pela WLSA Moçambique sobre sobre uma jovem que, até há pouco tempo, vivia com fístula obstétrica.

"Omitidas"

Brochura elaborada pela WLSA Moçambique sobre o problema da fístula obstétrica - um drama que atinge cerca de 100.000 mulheres em Moçambique.

Omitidas

Clique aqui para descarregar a brochura (em PDF)

Leia mais sobre fístula obstétrica

Contra a violência de género

Jogos05_small

A sociedade civil manifestou-se na inauguração dos X Jogos Africanos

Vovós acusadas de feiticeiras:

Nely_peq

Revista de Imprensa

Jornal A Verdade online - Página da Mulher

Foram encontrados 28 resultados com esta fonte.

ISAURA NYUSI NO LANÇAMENTO DO MÊS DA MULHER: Celebrar e partilhar ideias para oportunidades iguais

04/03/2016 -

A ESPOSA do Presidente da República, Isaura Nyusi, lançou esta quarta-feira, em Maputo, as celebrações do mês da mulher, convidando a todos moçambicanos para que façam do período um momento de partilha de ideias e renovação do compromisso para a construção de uma sociedade onde homens e mulheres gozam de direitos e oportunidades iguais

MULHERES QUE LUTAM PARA ALIMENTAR FAMÍLIAS: Vénia às heroínas anónimas!

05/02/2016 -

CONSUMIR verduras era em tempos não muito distantes económico para muitos bolsos. Porém, nos últimos dias revela-se difícil não somente pelo preço mas também pela raridade destas em muitos campos, dada a seca que afecta o sul do país, particularmente a província de Maputo.

Contudo, pela entrega de muitas mulheres guerreiras que não se refugiam à sombra alguma, enfrentando altas temperaturas e/ou chuva, nos dias que ela cai, tal acaba chegando à mesa de muitas famílias.

OMM: Da emancipação à igualdade de oportunidades

09/07/2015 -

Os representantes das organizações que constituem a OMM, reuniram no dia 8 de Julho na cidade de Xai – Xai, província de Gaza, para discutir vários assuntos que afecta a sociedade moçambicana, como o o HIV/Sida, a desnutrição crónica, a xenofobia, a problemática dos cancros do colo do útero, da mama e da próstata e o perigo das intrigas no desenvolvimento do país.

1.º DE MAIO: Trabalhadoras exigem licença de parto de noventa dias

01/05/2015 -

Os trabalhadores do Comité Nacional da Mulher manisfestaram no Dia Internacional dos Trabalhadores exigindo o alargamento da licença de maternidade de 60 para 90 dias. Segundo a Coordenadora desta Organização, Moçambique é um dos poucos a nível de região que ainda concede 60 dias para licença de parto, também procupada com o fraco acesso das mulheres ao emprego, promoções nas carreiras profissionais e o assédio sexual. Referiu ainda que, de acordo com o relatório da Organização das Nações Unidas  (ONU) sobre o progresso das mulheres do mundo 2015, o país apresenta uma elevada taxa de participação laboral feminina e manteve-se em 85% entre 1990 e 2013, enquanto a da masculina aumentou de 80,6% para 82,8% e,  45% das mulheres entre os 20 e 49 anos de idade, estão desempregadas, 30,1% estão empregadas. O relatório apresenta também grande disparidade salarial, 7%  das mulheres ganham o mesmo ou mais rendimentos que o marido, 66,7% recebem menos e 18,1%  o mesmo, razão da existência  da diferença no acesso à educação, onde 55% das mulheres não frequentam a escola, contra 27,6% dos homens, 44,6%  terminam o ensino primário, contra 67,1% dos homens, 0,4% com educação secundária ou superior, comparando com 4,1% dos homens.

Revista de Imprensa

Pesquisa

Fontes

Mulher e Lei na África Austral - Moçambique