WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA

As fotos no cabeçalho são
da autoria do CDFF 

Eventos

V Conferência Nacional da Rapariga:

Marcha pela liberdade de expressão:

Liberdade de Expressão

Marcha por Gilles Cistac:

Marcha Gilles Sistac

Marcha pela igualdade

Marcha2014_left

Contra violação dos direitos humanos no Código Penal

Diganao2

Concurso de fotografia

Vencedores da 2ª edição

Concurso2_Fotografia3

Marcha pela paz

manifesto_sq

Desfile do 1º de Maio

1maio07_peq

DSR_small
Prémio da Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos 2012

Anúncio dos vencedores

Marcha de Solidariedade

Marcha02_small

Fotos da Marcha de Solidariedade dos Povos da SADC (2012)

Multimedia

Não é fácil ser mulher ...

naoehfacil_peq

... em Moçambique

Aborto. Pense nisso...

Aborto_small

(Material usado em acções de formação da WLSA)

Perigo de morte!

perigo_de_morte3

O aborto ilegal em Moçambique

Quem vai querer dar a luz aqui?

Fatima

O estado em que se encontram alguns dos postos de saúde em Cabo Delgado

"Alzira"

Alzira_small

Filme produzido pela WLSA Moçambique sobre sobre uma jovem que, até há pouco tempo, vivia com fístula obstétrica.

"Omitidas"

Brochura elaborada pela WLSA Moçambique sobre o problema da fístula obstétrica - um drama que atinge cerca de 100.000 mulheres em Moçambique.

Omitidas

Clique aqui para descarregar a brochura (em PDF)

Leia mais sobre fístula obstétrica

Contra a violência de género

Jogos05_small

A sociedade civil manifestou-se na inauguração dos X Jogos Africanos

Vovós acusadas de feiticeiras:

Nely_peq

Revista de Imprensa

Lista completa: 2273 recortes.

Forçada a casar-se Procuradoria garante protecção

22/11/2013 - - PDF

O envolvimento de adultos com raparigas na região de Malema está aparentemente a enraizar-se. E o exemplo de Fátima Costa que foi forçada a casar-se há seis anos, quando tinha 16 anos de idade com o seu cônjuge de 55 anos.

Trabalhar na rua a apostar na escola

01/11/2013 -

Autor: Evelina Muchanga

“Não conheci o meu pai. A mamã diz que ele não assumiu a gravidez. Aprendi desde cedo a trabalhar para estudar. Sei conciliar a escola com as tarefas domésticas e a venda. Nunca faltei às aulas. Parecendo que não, tenho muito tempo para estudar porque enquanto não aparecem clientes, revejo a matéria”. São vítimas de assédio sexual e insultos porque, depois de consumirem o produto que vendem, alguns clientes dizem que não tem qualidade.

Complicações na gravidez e parto: Setenta mil raparigas morrem anualmente

01/11/2013 -

Pelo menos 70 mil raparigas de 10 a 19 anos morrem anualmente por causa de complicações durante a gravidez e o parto, indica um relatório das Nações Unidas que apela a uma mudança de políticas e mentalidades. “A gravidez na adolescência não é resultado de uma escolha deliberada, mas de uma falta de escolhas e fruto de circunstâncias que fogem ao controlo da rapariga”.
Moçambique é o quinto dos 40 países a nível mundial onde mais de 20 por cento das mulheres entre os 20 e os 24 anos dizem ter tido um filho antes dos 18 anos, segundo o relatório intitulado “A mãe-criança – enfrentar os desafios da gravidez na adolescência”. Estudos revelam que estas raparigas correm maiores riscos de morte materna ou de fístula obstétrica. Muitas das menores ficam incontinentes e enfrentam um futuro difícil ao serem pressionadas a abandonar precocemente a escola.

Casas mãe-espera em Gaza

31/10/2013 -

A Associação Vangano “Va Infulene” procede próxima semana à entrega de casas mãe-espera, no distrito de Xai-Xai, província de Gaza. Trata-se de lugares construídos no âmbito do projecto “Casa Ninnã Mamma”, próximo para onde as mulheres grávidas irão se dirigir quando se aproximar o fim da gestação”.

Estimula-se o renascimento da rapariga

31/10/2013 -

A fraca promoção e o consequente desconhecimento dos seus direitos, em diversas partes do mundo, tem sido uma das razões que inibem a evolução da rapariga. Com o objectivo de expandir a divulgação dos Direitos da Mulher e da Rapariga, no Dia Internacional da Rapariga, 11 de Outubro, o Centro Cultural Brasil-Moçambique, em Maputo, acolheu uma actividade em que, para além de se reflectir sobre a condição daquela camada social, projectou-se o filme “Renascer da Rapariga” em que se narram factos experimentados pelas meninas em países como Camboja, Egipto, Etiópia, Índia, entre outros.
Em Moçambique, o acesso e retenção das meninas no sistema nacional de ensino tem sido obstruído por uma série de comportamentos que as move a não concluir o ensino secundário geral. Por essa razão, em relação aos matrimónios prematuros, as estatísticas revelam que 53 porcento das raparigas moçambicanas casam-se antes de atingirem os 18 anos de idade. No entanto, relativamente à mortalidade materna, 40 porcento de mulheres que perdem a vida em complicações de parto são constituídos por raparigas com idades compreendidas entre 15 e 24 anos.

Quénia: homens que estupraram jovem são libertados após cortarem relva

28/10/2013 -

Uma campanha internacional lançada pela Internet recolheu quase 800 mil assinaturas para exigir que os supostos estupradores de uma adolescente no Quénia, libertados pela polícia após serem punidos com a pena de cortar a relva de uma esquadra da polícia, sejam condenados e presos. Liz, pseudônimo sob o qual se preserva a identidade da menor, de 16 anos, voltava do funeral do seu avô, a 26 de junho, quando seis homens a atacaram numa cidade do interior do país. Os estupradores revezaram-se para abusar da jovem e, quando terminaram, atiraram a adolescente numa latrina de seis metros de profundidade.

Cabo Delgado – Mais parturientes nos hospitais

26/10/2013 -

Autor: Pedro Nacuo

Aumentaram os partos institucionais na província de Cabo Delgado, no período que vai de Janeiro a Setembro deste ano, de 42 mil a 45 mil, comparativamente a igual espaço de tempo do ano transacto. Trata-se um ganho que o sector de Saúde diz estar a dever-se à expansão das casas de mãe-espera, colocação de profissionais do sector, construção de maternidades e o exercício piloto de entrega de enxovais que, nesta primeira fase, beneficiou, experimentalmente, aos distritos de Ancuabe e Namuno.

Casamentos prematuros atrasam empoderamento

25/10/2013 -

A predominância de casamentos prematuros de raparigas em alguns distritos da província de Nampula é apontada pela esposa do Presidente da República, Maria da Luz Guebuza, como sendo um dos principais factores sociais que estão por detrás do atraso no empoderamento da mulher naquele ponto do país. Falando aos jornalistas, após o término de sua visita, de cerca de uma semana, à província de Nampula, da Luz Guebuza explicou que as vítimas são crianças com menos de dezoito anos que, por motivações muitas das vezes de ordem material daqueles que promovem aquele tipo de prática (pais e familiares das raparigas), se encontram fora da escola para cuidar de filhos e/ou maridos.

Revista de Imprensa

Pesquisa

Fontes

Mulher e Lei na África Austral - Moçambique