WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA

As fotos no cabeçalho são
da autoria do CDFF 

Eventos

V Conferência Nacional da Rapariga:

Marcha pela liberdade de expressão:

Liberdade de Expressão

Marcha por Gilles Cistac:

Marcha Gilles Sistac

Marcha pela igualdade

Marcha2014_left

Contra violação dos direitos humanos no Código Penal

Diganao2

Concurso de fotografia

Vencedores da 2ª edição

Concurso2_Fotografia3

Marcha pela paz

manifesto_sq

Desfile do 1º de Maio

1maio07_peq

DSR_small
Prémio da Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos 2012

Anúncio dos vencedores

Marcha de Solidariedade

Marcha02_small

Fotos da Marcha de Solidariedade dos Povos da SADC (2012)

Multimedia

Não é fácil ser mulher ...

naoehfacil_peq

... em Moçambique

Aborto. Pense nisso...

Aborto_small

(Material usado em acções de formação da WLSA)

Perigo de morte!

perigo_de_morte3

O aborto ilegal em Moçambique

Quem vai querer dar a luz aqui?

Fatima

O estado em que se encontram alguns dos postos de saúde em Cabo Delgado

"Alzira"

Alzira_small

Filme produzido pela WLSA Moçambique sobre sobre uma jovem que, até há pouco tempo, vivia com fístula obstétrica.

"Omitidas"

Brochura elaborada pela WLSA Moçambique sobre o problema da fístula obstétrica - um drama que atinge cerca de 100.000 mulheres em Moçambique.

Omitidas

Clique aqui para descarregar a brochura (em PDF)

Leia mais sobre fístula obstétrica

Contra a violência de género

Jogos05_small

A sociedade civil manifestou-se na inauguração dos X Jogos Africanos

Vovós acusadas de feiticeiras:

Nely_peq

Revista de Imprensa

Lista completa: 2252 recortes.

Participação da mulher na alfabetização supera expectativas do governo

11/09/2013 -

O governo está encorajado com a massiva participação das mulheres no processo de alfabetização e educação de adultos, segundo referiu, segunda-feira, em Nampula, o vice-ministro da Educação, Francisco Itai Meque, em declarações à imprensa. Segundo o governante, a adesão das mulheres aos vários centros de alfabetização e educação de adultos espalhados pelo território nacional superou as expectativas do governo moçambicano.

Cabo Delgado – Gravidez leva à desistência de muitas alunas na EIC de Pemba

07/09/2013 -

Autor: Zé Campos

Dezassete alunas do curso diurno da Escola Industrial e Comercial de Pemba desistiram das aulas durante o primeiro semestre do presente ano lectivo, por causa de gravidez precoce e indesejável. Para reverter o cenário, o director da Escola Industrial e Comercial de Pemba disse que a direcção do seu estabelecimento de ensino está a promover palestras de sensibilização às alunas para evitarem gravidezes precoces. “Temos uma professora nova em termos de idade e que fez o Ensino Superior e não tem filhos ainda. Confiamos-lhe a tarefa de dizer às alunas para se absterem de fazer relações sexuais desprotegidas. Devem usar camisinha para evitarem também doenças venéreas, incluindo o HIV/SIDA”.

Menor de seis anos violada

06/09/2013 - - PDF

Com seis anos, Rosinha foi sexualmente violada e contaminada HIV pelo dono da casa onde a mãe arrenda uma dependência, no bairro das Mahotas, em Maputo.

Ribáuè regista aumento de partos institucionais

06/09/2013 -

As autoridades de saúde do distrito de Ribáuè, província de Nampula, registaram este ano um aumento considerável do número de mulheres que aderiram às unidades sanitárias para realizarem os partos, segundo anunciaram recentemente as autoridades de saúde local. Dados em nosso poder indicam que, no primeiro semestre deste ano, pelo menos 426 parturientes fizeram-se ao hospital contra 385 registados em igual período do ano passado. O crescimento é resultado da realização de campanhas de sensibilização feitas pelo sector de saúde junto das comunidades locais sobre a necessidade de encaminharem as gestantes às unidades sanitárias mais próximas, para que elas realizem partos seguros, assistidos por profissionais, com vista a prevenirem a morte da mãe e do bebé, bem como a transmissão de doenças.

Depois do Brasil: Moçambique acolhe marcha internacional das mulheres

06/09/2013 -

Pela primeira vez o nosso país vai a colher o Encontro Internacional da Marcha das mulheres a ter lugar em 2016. Os participantes do encontro discutem os desafios e conquistas alcançadas nos últimos anos. A informação foi anunciada sábado último numa caminhada em São Paulo, Brasil, que marcou o final do 9º encontro que juntou cerca de 1.6 mil mulheres de 48 países representantes de todo o mundo.

Em Sanga e Muembe, Niassa: O fundo que mudou a vida das mulheres

30/08/2013 -

Autor: Joana Macie

A inclusão de mulheres no Conselho Consultivo de Muembe e Sanga, na província do Niassa, incentivou a adesão de muitas outras aos fundos de desenvolvimento distrital, o que lhes permite melhorar as suas vidas e das respectivas famílias. Trata-se de uma iniciativa que foi desenhada para apoiar e complementar os esforços dos Governos Locais no fortalecimento da sua capacidade para a integração sistemática dos assuntos do género nos processos de programação, planificação, orçamentação e monitoria ao nível local, à luz das políticas e legislação nacional.

Urge reforçar orçamento para saúde reprodutiva – apelam Parlamentares Europeus

30/08/2013 -

A delegação do Fórum de Parlamentares Europeus (EPF) que terminou hoje, sexta-feira, 30 de Agosto, uma visita ao nosso país, exorta a todos os governos a reforçarem os seus orçamentos para a área do Planeamento Familiar e Saúde Reprodutiva. Apelam ainda para a necessidade de os países, incluindo Moçambique, criarem uma estratégia sustentável em matéria de população, que tenha impacto de desenvolvimento mundial, pós objectivos de desenvolvimento do Milénio (na Agenda pós 2015), onde o investimento na saúde e nos direitos das pessoas nesta matéria faça diferença, pois trata-se de uma agenda de todos para todos.

Tete – Ratxide Gogo contra casamentos prematuros

29/08/2013 -

Autor: Bernardo Carlos

O Governador de Tete, Ratxide Gogo, apelou no encontro com a população de Furancungo, distrito de Macanga, ao norte da província, para o seu maior empenho na luta contra casamentos prematuros, algo que propicia os elevados índices de desistência das jovens ao ensino formal naquela região do país. O dirigente da província de Tete apontou, por exemplo, os casos de raparigas que com idades variáveis entre 12 e 16 anos, vivem maritalmente e, em alguns casos, com jovens quase da sua idade e, às vezes, com adultos, remetendo-as a uma situação de pobreza absoluta.

Revista de Imprensa

Pesquisa

Fontes

Mulher e Lei na África Austral - Moçambique