WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA

As fotos no cabeçalho são
da autoria do CDFF 

Eventos

Mulheres Jovens sob Ataque (debate):

V Conferência Nacional da Rapariga:

Marcha pela liberdade de expressão:

Liberdade de Expressão

Marcha por Gilles Cistac:

Marcha Gilles Sistac

Marcha pela igualdade

Marcha2014_left

Contra violação dos direitos humanos no Código Penal

Diganao2

Concurso de fotografia

Vencedores da 2ª edição

Concurso2_Fotografia3

Marcha pela paz

manifesto_sq

Desfile do 1º de Maio

1maio07_peq

DSR_small
Prémio da Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos 2012

Anúncio dos vencedores

Marcha de Solidariedade

Marcha02_small

Fotos da Marcha de Solidariedade dos Povos da SADC (2012)

Multimedia

Não é fácil ser mulher ...

naoehfacil_peq

... em Moçambique

Aborto. Pense nisso...

Aborto_small

(Material usado em acções de formação da WLSA)

Perigo de morte!

perigo_de_morte3

O aborto ilegal em Moçambique

Quem vai querer dar a luz aqui?

Fatima

O estado em que se encontram alguns dos postos de saúde em Cabo Delgado

"Alzira"

Alzira_small

Filme produzido pela WLSA Moçambique sobre sobre uma jovem que, até há pouco tempo, vivia com fístula obstétrica.

"Omitidas"

Brochura elaborada pela WLSA Moçambique sobre o problema da fístula obstétrica - um drama que atinge cerca de 100.000 mulheres em Moçambique.

Omitidas

Clique aqui para descarregar a brochura (em PDF)

Leia mais sobre fístula obstétrica

Contra a violência de género

Jogos05_small

A sociedade civil manifestou-se na inauguração dos X Jogos Africanos

Vovós acusadas de feiticeiras:

Nely_peq

Revista de Imprensa

Lista completa: 2318 recortes.

Moçambicanos satisfeitos com nova embaixador

17/04/2014 -

Autor: Mossela, Domingos

Associações de moçambicanos residentes em Lisboa, no âmbito da celebração do 7 de Abril, dia da Mulher Moçambicana. Consideraram, que a nomeação da nova embaixadora de Moçambique em Lisboa, é mais uma prova inequívoca do lugar que a mulher ocupa nos processos de governação. Demonstrou-se ainda, que o compromisso e a agenda que o Governo moçambicano tem em conferir mais poderes às mulheres, promovendo a igualdade de género e a participação activa no processo de desenvolvimento   do país

NAMPULA: Reduzem casamentos prematuros

17/04/2014 -

Autor: Langa, Jaime

Segundo porta-voz da Direcção Provincial da Educação e Cultura, a redução do casamento prematuro resulta de um grande trabalho feito pelas autoridades governamentais na sensibilização dos pais e encarregados de educação sobre a necessidade de combaterem aquele fenómeno, deixando as suas filhas irem à escola para aquisição de conhecimentos técnico-científicos, acrescentou ainda de estar satisfeito pela redução significativa de casamentos prematuros, por exemplo, 851.866 alunos inscritos para frequentarem o ensino primário do primeiro grau no presente ano lectivo na província de Nampula, 402.466 são do sexo feminino. No ensino técnico-profissional estão matriculados no presente ano lectivo pouco mais de 831 meninas, contra 565 inscritas no ano transacto.

Vítima de violência: – AI: o refúgio para a mulher

11/04/2014 -

Autor: Evelina Muchanga

Uma mulher de 26 anos de idade foi recebida no Centro de Atendimento Integrado às Vítimas de Violência do Posto de Saúde de Ndlavela, devido agressões físicas “violência física”. Os profissionais daquele centro afirmam que, a maioria das vitimas de violência, chegam deprimida e sem condições para falar e, algumas tentam esconder os violadores. Entretanto, pretende-se que os agressores sejam responsabilizados e criminalizados pelos actos cometidos deforma que haja justiça.

As mais violadas

11/04/2014 -

Autor: Langa, Jaime

O centro de saúde de Ndlavela na província de Maputo recebe as mulheres com idades que variam de 18 a 24 anos devido a violência sexual. Segundo dados estatísticos, receberam cerca de 84 mulheres vitimas de violência sexual em 2013 contra 22 de 2012.

Mulher moçambicana clama pela valorização

08/04/2014 -

Autor: Macanandze, Coutinho

No âmbito da celebração do dia 07 de Abril, as mulheres exigem valorização por parte do Governo no que tange a criação das directrizes contra a violência domestica e os obstáculos que impedem a integração na vida económica, politica e social. Afirmam ainda que, a luta é ver a mulher actuar de forma livre na sociedade sem isolamento social, visto que, causa limitações nos processos de desenvolvimento.

Marcha pela Paz

04/04/2014 -

Autor: Langa, Jaime

A Organização da Mulher Moçambicana organiza uma marcha por ocasião do dia 07 de Abril, visa sensibilizar a sociedade no sentido de optar pela manutenção da paz. A mesma iniciará as 08h na Praça da OMM, e terminará na Praça da Paz, com orações e discursos.

Revista de Imprensa

Pesquisa

Fontes

Mulher e Lei na África Austral - Moçambique