WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA WLSA

As fotos no cabeçalho são
da autoria do CDFF 

Eventos

Campeonato de futebol:

“Unidos Contra a Violência Sexual”

Vamos falar de aborto!

(mesa redonda)

Mulheres Jovens sob Ataque (debate)

V Conferência Nacional da Rapariga

Marcha pela liberdade de expressão

Liberdade de Expressão

Marcha por Gilles Cistac

Marcha Gilles Sistac

Marcha pela igualdade

Marcha2014_left

Contra violação dos direitos humanos no Código Penal

Diganao2

Concurso de fotografia

Vencedores da 2ª edição

Concurso2_Fotografia3

Marcha pela paz

manifesto_sq

Desfile do 1º de Maio

1maio07_peq

DSR_small
Prémio da Rede de Defesa dos Direitos Sexuais e Reprodutivos 2012

Anúncio dos vencedores

Marcha de Solidariedade

Marcha02_small

Fotos da Marcha de Solidariedade dos Povos da SADC (2012)

Multimedia

Não é fácil ser mulher ...

naoehfacil_peq

... em Moçambique

Aborto. Pense nisso...

Aborto_small

(Material usado em acções de formação da WLSA)

Perigo de morte!

perigo_de_morte3

O aborto ilegal em Moçambique

Quem vai querer dar a luz aqui?

Fatima

O estado em que se encontram alguns dos postos de saúde em Cabo Delgado

"Alzira"

Alzira_small

Filme produzido pela WLSA Moçambique sobre sobre uma jovem que, até há pouco tempo, vivia com fístula obstétrica.

"Omitidas"

Brochura elaborada pela WLSA Moçambique sobre o problema da fístula obstétrica - um drama que atinge cerca de 100.000 mulheres em Moçambique.

Omitidas

Clique aqui para descarregar a brochura (em PDF)

Leia mais sobre fístula obstétrica

Contra a violência de género

Jogos05_small

A sociedade civil manifestou-se na inauguração dos X Jogos Africanos

Vovós acusadas de feiticeiras:

Nely_peq

Revista de Imprensa

mediaFAX

Foram encontrados 35 resultados com esta fonte.

Participação Política da Mulher: Cresce o número de mulheres nas presidências dos conselhos autárquicos e há riscos de decrescer nas presidências das assembleias autárquicas

01/02/2019 -

Nos últimos dois mandatos dos órgãos autárquicos, Moçambique registou um ligeiro progresso em termos de mulheres empossadas nas presidências dos conselhos e das assembleias autárquicas no geral. De 7 por centos no mandato de 2009-2013, passou para 9,4 por centos no mandato de 2014-2018 ao nível de Presidentes dos Conselhos. Nas 53 Assembleias Autárquicas a participação da mulher passou de 37 por centos para 37,5 por centos. Ao nível da presidência das Assembleias Autárquicas no mandato de 2014-2018 as estatísticas indicam que foram eleitas 15 por centos de mulheres para este cargo.

Comissão dos Direitos Humanos da OAM Conversou com o acusado: Afinal Amade foi mesmo torturado

28/01/2019 -

Acusado pelas Forças de Defesa e Segurança (FDS) e pela Procuradoria Distrital de Macomia de cometimento de crimes de violação de segredo do Estado por meios informáticos e instigação pública a um crime com uso de meios informáticos”, o que equivale à acusação de espionagem a favor dos grupos terroristas que operam em Cabo Delgado desde Outubro de 2017, o jornalista Amade Abubacar terá sido mesmo torturado pelas Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM).

A acusação é da HRW: Suspeitos de insurgência abusados pelas FDS

05/12/2018 -

Human Rights Watch (HRW) denuncia abusos graves cometidos pelas Forças de Defesa e Segurança no combate aos insurgentes que desde Outubro de 2017 tem estado a atacar aldeias dos distritos do norte da província de Cabo Delgado. Levando a cabo detenções arbitrárias, maltratando e executando sumariamente, dezenas de indivíduos suspeitos de pertencerem aos grupos atacantes.

Embaixada dos EUA não esconde preocupação com as trafulhices da Frelimo: Caso Marromeu ensombra todo o processo eleitoral

05/12/2018 -

A Embaixada dos Estados Unidos da América (EUA) em Maputo emitiu, na tarde desta terça-feira, uma comunicação pública partilhando a sua total preocupação em relação à forma como os processos eleitorais têm estado a ser geridos nos últimos tempos, com particular destaque para a repetição da votação autárquica na vila de Marromeu, província de Sofala.

Erradicação fístula obstétrica: Falta de médicos especialistas condiciona cura

16/11/2018 -

Moçambique tem apenas seis médicos especialistas que devem assistir 2.500 pacientes que, anualmente, dão entrada nas unidades hospitalares. Adicionados a este universo, fala-se de, pelo menos 1.500 pacientes que permanecem na fila de espera. É que, tal como disse Igor Vaz, director do Serviço de Urologia do Hospital Central de Maputo, anualmente, são atendidos 400 a 500 pacientes, dos 2.500 que dão entrada nas unidades sanitárias, ficando de fora cerca de duas mil.

Revista de Imprensa

Pesquisa

Fontes

Mulher e Lei na África Austral - Moçambique